sábado, 28 de setembro de 2013

Família do Bagulho

Família do Bagulho é uma comédia cuja história é formuláica, previsível e até mesmo esquemática demais. Mas, surpreendentemente, o filme ainda consegue cumprir seu objetivo de entreter o espectador. Isso acontece em grande parte por que ele tem a sorte de contar com um elenco interessante liderado por Jason Sudeikis (ator que vem alcançando relativo sucesso depois de sua saída do Saturday Night Live) e Jennifer Aniston, que acaba salvando o projeto de ser algo aborrecido de se assistir.
Escrito por Bob Fisher e Steve Faber em parceria com Sean Anders e John Morris, baseado no argumento dos dois primeiros, Família do Bagulho conta a história de David Clark (Jason Sudeikis), um simples traficante que não tem muitos objetivos na vida, sendo também uma pessoa sozinha. No entanto, depois que seu dinheiro é roubado, ele é obrigado a aceitar um serviço de seu chefe, Brad Gurdlinger (Ed Helms), e ir até o México pegar uma carga de maconha. Para isso, David tem a ideia de chamar sua vizinha stripper Rose (Jennifer Aniston), além dos jovens Kenny (Will Poulter) e Casey (Emma Roberts), para criar a família Miller, o que facilitaria sua viagem por que a polícia não dá muita atenção para famílias que saem de férias. Mas é claro que as coisas não se revelam tão fáceis quando poderiam, e eles têm que aprender a conviver juntos caso queiram que o plano dê certo.
Dirigido por Rawson Marshall Thurber (o mesmo por trás do divertido Com a Bola Toda), Família do Bagulho conta com um bom timing, que aproveita bem boa parte das sacadas do roteiro, como a cena em que um pacote de maconha é amassado por um caminhão. No entanto, em alguns momentos as gags ou já são muito clichês, como aquela envolvendo um bicho na roupa de um personagem, ou são exploradas e esticadas mais do que deveriam, o que é ainda pior quando o final delas é bastante previsível, como a cena em que Kenny aprende a beijar, ou a outra em que David e Rose se veem tendo que apimentar um pouco a relação de Don e Edie Fitzgerald (interpretados por Nick Offerman e Kathryn Hahn), casal que eles encontram no meio da estrada.
Além disso, o modo como a trama se desenrola, seguindo à risca fórmulas já muito batidas, impede um maior envolvimento com a história, que acaba não sendo tão interessante. Desde o princípio é possível prever as coisas que acontecem ao longo da projeção, e isso inclui até os conflitos entre os personagens. Aliás, os próprios personagens são desenvolvidos de maneira um pouco preguiçosa, algo que se pode ver no momento em que David fala como conheceu Rose, em um diálogo muito expositivo.
Mas mesmo com seus problemas, o filme consegue fazer com que nos importemos com as figuras vistas na tela, e é aí que o elenco carismático e a ótima dinâmica que demonstram em cena acabam fazendo a diferença. Jason Sudeikis diverte interpretando David, protagonizando alguns belos momentos no filme (a cena em que ele quebra a quarta parede e pisca para o público é sensacional) e formando com Jennifer Aniston uma dupla de pais curiosa, ainda que a família seja apenas uma fachada. Já Will Poulter e Emma Roberts surgem eficientes interpretando Kenny e Casey, o que compensa o detalhe de os personagens não serem muito bem desenvolvidos (em nenhum momento fica claro o porquê de eles serem tão sozinhos como vemos no início da história).
Tendo um final um tanto forçado, Família do Bagulho não é uma grande comédia, mas diverte o bastante para deixar o espectador satisfeito ao final da projeção.
Obs.: Apesar de o filme fazer rir, nenhuma de suas piadas supera a brincadeira que fizeram com Jennifer Aniston durante as filmagens e que aparece nos erros de gravação antes dos créditos finais.
Cotação:

2 comentários:

BRENNO BEZERRA disse...

Percebo que o filme não é tão ruim assim e me encorajo em vê-lo. Vou ver com minha irmã que é apaixonada por Jennifer Aniston.

jovemedivertida disse...

Interessante seu ponto de vista, entretanto eu adorei o filme, ri demais e até adquiri para minha coleção.